INTRODUÇÃO

Observatórios oceânicos

O oceano cobre 70% da superfície da Terra, consistindo em 95% do seu espaço vital. É a base dos ciclos físicos, químicos e biológicos do nosso planeta.
 
Documentos estratégicos, tais como a Declaração de Galway e o Desafio de Belmont, destacam a necessidade de compreender as mudanças previstas para as próximas décadas. Nesse sentido, a iniciativa EMSO-ERIC pretende ter uma presença contínua na monitorização dos oceanos. O EMSO-PT pretende ter dados contínuos em tempo real suportando sistemas de alerta e o estabelecimento de medidas de adaptação.
 
Os observatórios oceânicos permitem uma presença continuada na monitorização no oceano. Este desafio só pode ser enfrentado como parte de uma cooperação internacional com os EUA, Canadá, Japão, Austrália, Europa entre outros países.

A importância da região de Cádis 

O Golfo de Cádis foi o epicentro do terramoto de 1755. Afectou uma aréa de 800.000 km2, provocou a morte de cerca de 100.000 pessoas e foi, provavelmente, o maior desastre sísmico que afectou a Europa ocidental. 

Nesta região, as placas tectónicas africana e europeia convergem e a região continua a ser sísmica e vulcanicamente activa.

É também o local previlegiado para investigar a entrada das águas do Mediterrâneo no oceano Atlântico, que afectam a circulação das águas profundas de Atlântico Norte. As características geológicas e oceanográficas desta região favorecem a presença de comunidades bentónicas muito diversas e desempenham também um papel central na distribuição de vários mamíferos marinhos e espécies de peixes.

 

O observatório da Estação Condor oferece oportunidades únicas de investigação

 

O banco submarino Condor está localizado a oeste-sudoeste da ilha do Faial, que pertence ao Arquipélago dos Açores.

Os bancos submarinos são uma característica típica em regiões com com fundos marinhos vulcânicos e tectonicamente activos, especialmente nas áreas próximas da dorsal Meso-atlântica.

Esta região é de particular interesse científico, quer por se tratar de uma região tectónica activa mas também por providenciar um habitat único para a flora e fauna.

Situado no topo de um vulcão ativo, o Lucky Strike e seu campo hidrotérmico, o observatório EMSO-Açores oferece oportunidades únicas de pesquisa.

A abertura hidrotérmica, que é uma fissura na superfície da Terra a partir da qual a água quente sai, pode ser investigada com uma abordagem multidisciplinar. A fauna peculiar hospedada e as comunidades microbianas, a composição da água e a circulação são estudadas. Estando na cordilheira do Atlântico Central, onde as placas tectônicas divergem, o local permite estudar de perto as atividades tectônicas e vulcânicas.

Disciplinas científicas da EMSO: geociências, oceanografia física, biogeoquímica, ecologia marinha.

Informação Geral

A abertura hidrotérmica, que é uma fissura na superfície da Terra a partir da qual a água quente sai, pode ser investigada com uma abordagem multidisciplinar. A fauna peculiar hospedada e as comunidades microbianas, a composição da água e a circulação são estudadas. Estando na cordilheira do Atlântico Central, onde as placas tectônicas divergem, o local permite estudar de perto as atividades tectônicas e vulcânicas.

Disciplinas científicas da EMSO: geociências, oceanografia física, biogeoquímica, ecologia marinha.

Objetivos

A abertura hidrotérmica, que é uma fissura na superfície da Terra a partir da qual a água quente sai, pode ser investigada com uma abordagem multidisciplinar. A fauna peculiar hospedada e as comunidades microbianas, a composição da água e a circulação são estudadas. Estando na cordilheira do Atlântico Central, onde as placas tectônicas divergem, o local permite estudar de perto as atividades tectônicas e vulcânicas.

Disciplinas científicas da EMSO: geociências, oceanografia física, biogeoquímica, ecologia marinha.

Infraestrutura

A abertura hidrotérmica, que é uma fissura na superfície da Terra a partir da qual a água quente sai, pode ser investigada com uma abordagem multidisciplinar. A fauna peculiar hospedada e as comunidades microbianas, a composição da água e a circulação são estudadas. Estando na cordilheira do Atlântico Central, onde as placas tectônicas divergem, o local permite estudar de perto as atividades tectônicas e vulcânicas.

Disciplinas científicas da EMSO: geociências, oceanografia física, biogeoquímica, ecologia marinha.